RSS Feed

Routine

Posted by Eduardo Gomes


Era seis da manha daquele 12 de janeiro, eu estava acordado  (não tenho certeza), desorientado, os olhos ainda não abriam, os pés não me pertenciam.  Apesar de relutar, a força da obrigação do dia me tomou pelos braços e me empurrou porta a dentro do banheiro.
A água açoitava-me as costas violentamente, a realidade chegava aos poucos, e do lado de fora a rotina já batia na porta aos berros para que eu me apressasse. A principio ignorei, e por alguns momentos caí no limbo dos meus pensamentos vãos, e realmente foi em vão.
O relógio no meu pulso esquerdo lembrava quem era meu dono: O tempo. Impiedoso colocava-me no seu tabuleiro de xadrez e pacientemente espero cada movimento. O vapor da minha suspiração conformada embaçava o espelho, as olheiras completavam a máscara da fadiga e anunciavam que estava quase pronto.
Enquanto caminhava para o campo de batalha, deixava minha imaginação na gaveta, minha liberdade na mesa, esquecia a criatividade na cadeira. A medida que me aproximava da porta  enchia meu saco com paciência, polidez, educação, e colocava as mentiras no bolso de trás, e adentrei no front.
Ao final, retornei para casa de bolsos vazios, exausto, entrei no banheiro novamente e me limpei da sujeira. Sentei na cadeira em frente à tela em branco do Word e com as forças que me restavam joguei nela as palavras desse texto. No fim, pensei comigo mesmo: amanhã será outro dia…
Era seis da manha daquele 13 de janeiro, eu estava acordado  (não tenho certeza), desorientado…

2 comentários:

  1. Jude Araujo

    "Abro os olhos sob o mesmo teto todo dia, tudo outra vez!Acordo um tapa no relogio a mente está vazia, são dez pra seies.."
    Me sinto exatamente assim Mano, tds os dias lá fora sou mais um, no meu mundo sou única e solitária..
    Beijãoo!

  1. Maria Akemi

    "No fim, pensei comigo mesmo: amanhã será outro dia…" Outro dia de uma dura e triste rotina. Às vezes temos sorte e aparece algo/alguém que muda nosso dia. Adoro seus textos.

Postar um comentário