RSS Feed

Petite

Posted by Eduardo Gomes

Petite

Eu escrevia desesperadamente aflito para encontrar pelo menos um ponto continuativo em minha vida. Havia um ponto-e-vírgula no meio do caminho, quando passei por entre ele: te encontrei. Pensei em começar um novo parágrafo, mas acabei por virar a pagina e comecei a te desenhar com as palavras mais belas que consegui extrair da ponta da caneta.  
Te levei para conhecer as páginas rabiscadas antes de você chegar, passamos por gotas de mágoas que marcavam o papel, por terrenos ásperos aquecidos pela raiva e cheguei no canto da página onde sempre ficava o teu nome.  
Hoje, escrevo lentamente para aproveitar a sua companhia enquanto a caneta segue pelo papel trilhando linhas inexploradas. Olhamos juntos pela janela e vemos a tinta cair a nossa frente contornando nossos desejos (deixando passar alguns deles em branco) e nos dando segurança de passarmos à limpo os nossos sonhos.
Eu sei que não escrevo mais sozinho, sempre sinto o leve acariciar da sua pele na minha mão ao gesticular no papel cada nova palavra, cada nova frase. Todos dedicam seus olhares aos meus textos, descobrem facilmente que é você quem dar sentido a tudo isso: Nilzete Brito. Eu te amo.
Obrigado por ser a fonte de inspiração dos meus textos... e “por acaso”, da minha vida também.

4 comentários:

  1. Nilzete Brito

    Como não se emocionar com um texto desses!
    Agradeço todos os dias por ter você na minha vida!
    Só nós podemos compreender o que há nas entrelinhas destes textos.
    Mais uma vez,
    Te amo!

  1. Irislane Pacheco

    oooowwwww... que puta declaração!

    Gostei das palavras, gostei pelo fato de no final ter a palavra que eu sabia q iria estar: Nilzete.
    Ainda não me conformo com o texto da nostalgia..rs

    Parabéns pelos textos, esqueça jornalismo... vá viver de literatura! kkk

  1. Maria Akemi

    Isso é oq se chama de cara apaixonado. Que declaração linda. Parabéns pelos belos textos,amigo.

  1. emilia janaina

    poxa amiga q paixao

Postar um comentário