RSS Feed

La Liberté

Posted by Eduardo Gomes



Há muito tempo pensei que você tinha me abandonado. Não senti suas mãos nos meus ombros quando parei rente ao precipício; onde estava você quando parei de brincar com fogo; por que não me salvaste do inescapável amadurecimento da vida; por que apaticamente observou a rigidez mórbida da rotina debruçar-se sobre mim, acorrentando-me ao tempo e a este papel social que desempenho ferrenha e perfeitamente; por que apenas não me destes um papel em branco? 
A inspiração me abandonou no pretérito perfeito, mas ela voltará em tempos vindouros, e para que ela nunca mais me abandone, criei este blog, onde ela ficará aprisionada nesse meu labirinto particular. Eu precisava sentir, eu precisava me emocionar, e esperarei sentado aqui, no meu prazer de escrever, para que um dia ela volte.
As minhas mãos continuam atadas pelo ciclo eterno das obrigações diárias, mas há algum tempo  perscruto a escuridão  da obviedade e uma brecha se abrirá para que você volte para as minhas mãos e elas possam  sonhar  enquanto percorrem o papel.
Até lá, apesar de não sentir sua presença na platéia, eu estarei pronto, esperando para que  as cortinas  se abram para esse espetáculo que nunca parou.

2 comentários:

  1. Jude Araujo

    Que lindo! Use e abuse desse espaço! Qro saber do que cerca a sua meente! Amo vc mano!

  1. Akemi

    Uau! Gostei muito desse texto. Muito bom mesmo. Parabéns Dudu!

Postar um comentário